1 – Como conheceu a nossa empresa?
R: Conheci a JobAbroad através da Internet, fazia pesquisas sobre oportunidades de emprego fora de Portugal quando a vossa companhia surgiu com propostas que pareciam interessantes e iam de encontro ao que pretendia.

2 – O que levou a escolher a JobAbroad?
R: Quando comecei a pensar em trabalhar fora de Portugal tinha duas coisas em mente, primeira que queria um país onde o Inglês fosse a lingua utilizada e depois não queria muito ir para o Reino Unido por ser a primeira escolha óbvia da maioria dos enfermeiros, por isso a Irlanda estaria no meu top de escolhas e de todas as propostas que fui recebendo, a vossa empresa apresentavas as mais interessantes. Daí a minha escolha pela JobAbroad.

3 – Que motivos levaram a que optasse por trabalhar fora de Portugal? (Exemplos; Crescimento pessoal ou profissional?)
R: Em Portugal a profissão de Enfermagem está demasiado vulgarizada, muitos enfermeiros para poucas vagas. Muito esporadicamente se consegue um emprego full-time que nos permita exercer a profissão em pleno, e foi o que me tinha acontecido desde que terminei a licenciatura, sempre trabalhei mas mais num sentido de prestação de serviços e isso para mim deixou de ser suficiente, queria mais, definitivamente queria muito mais. O crescimento e desenvolvimento profissional começaram a distanciar-se das outras ambições que tinha na vida e tinha mesmo que dar o salto ou viveria insatisfeita o resto da vida.

4 – Pensa voltar um dia a Portugal?
R:Sinceramente não sei. Foi extremamente bem recebida, aqui valorizam o meu trabalho e o que sou. Aqui dão-me perspectivas positivas de conhecimento e desenvolvimento. Por isso muito honestamente, a curto prazo voltar a Portugal não está nos meus planos. Um dia, talvez, não sei.

5 – Como foi a sua recepção ao chegar a este novo país?
R: O país que me recebeu, Republica da Irlanda é um país acolhedor e afectuoso por natureza, dada também a multiculturalidade que eles têm. Fizeram-me sentir muito bem, como se fosse parte da família. Disponibilizaram-se para me ajudar em tudo e têm sido até agora muito bons comigo. Só tenho a agradecer.

6 – Como é viver neste novo local? E como descreve o processo de adaptação a uma nova realidade?
R: Vivo num condado que se assemelha à minha terra Natal em Portugal por isso a adaptação não foi complicada. Desde que deixei Portugal que disse para mim que ia abrir horizontes e não comparar o que deixei em Portugal com o que tenho agora, e tenho sido muito feliz assim. A realidade não é assim tão diferente como se diz e a meteorologia tão má como pintam (ahahah). O meu processo de adaptação foi muito calmo e subtil, estou rodeada de pessoas muito simpáticas e amigáveis. Sempre me fizeram sentir em casa e me ajudaram em todos os processos, uns mais burocráticos que outros. Por isso a minha adaptação foi bastante rápida, um mês depois já era parte da casa. Nunca me senti olhada de lado ou ignorada. Mas de todo recomendo que sempre que pensarem em mudar de país que estudem bem a língua desse país antes de tomarem esse passo. Isso eles não gostam, não gostam de se sentir incompreendidos e de não conseguirem ajudar. Se pensarmos o oposto também não gostamos de ter em Portugal pessoas que não compreendemos.

7- O que pensa acerca dos serviços prestados pela JobAbroad em todo o processo?
R: Não podia estar mais contentes com os serviços da JobAbroad, desde o inicio que sempre foram muito esclarecedores e prestativos, dando muita atenção em todo o processo e tentado de forma simples esclarecer todas as dúvidas. Sempre que os contactava conseguiram responder e dar todas as indicações necessárias em tempo útil. Além disso pensam sempre em antecipação, principalmente acerca da Ordem dos Enfermeiros na Irlanda o que levou a que todo o processo fosse simples e rápido. Dão indicações de todos os documentos necessários e os que poderão a ser necessários fazendo os clientes estar sempre um passo a frente do que será pedido. Só tenho que agradecer toda a ajuda que me deram.

8 – Aconselharia a nossa empresa a outros colegas?
R: Definitivamente. Sempre que me questionam sobre empresas a pesquisar para “dar o salto” recomendo sempre a JobAbroad. Como se diz em bom Português: “Em equipa que ganha não se mexe!”