O que dizem sobre nós

Naomi Carey & Janet Montgomery

job_testemun

Andreia Silva

1 – Como conheceu a nossa empresa?
R: Conheci a JobAbroad através de uma amiga no início de 2016 e depois oficialmente através da universidade.

2 – O que levou a escolher a JobAbroad?
R: A JobAbroad foi a equipa de recrutamento escolhida pela minha amiga e ela só me dava bons motivos para a escolher, por isso, fui em frente. Toda a equipa demonstra interesse pelos candidatos, preocupação, disponibilidade e rapidez nas respostas.

3 – Que motivos levaram a que optasse por trabalhar fora de Portugal? (Exemplos; Crescimento pessoal ou profissional?)
R: Desde o início da licenciatura que sempre tive vontade de viajar e de conhecer novas culturas, países e pessoas. Portugal não tinha o que eu mais precisava, que era um emprego, portanto tive de ir em busca de um, noutro país.

4 – Pensa voltar um dia a Portugal?
R:Nunca se deve dizer nunca, quem sabe. Se me adaptar ao país que escolhi, às pessoas e ao meu emprego, fico, se estiver insatisfeita tento em Portugal.

5 – Como foi a sua recepção ao chegar a este novo país?
R: Não poderia ter sido melhor. Senti-me uma verdadeira princesa a chegar ao baile. Vieram todos cumprimentar-me, deram-me as boas vindas e desejaram-me uma boa estadia no país. Fiquei encantada com os Irlandeses, são muito acolhedores, sabem fazer com que uma pessoa se sinta em casa.

6 – Como é viver neste novo local? E como descreve o processo de adaptação a uma nova realidade?
R: Viver num novo país, não vou mentir, tem os seus dissabores. Pude descobrir que vida de emigrante não é nada fácil. Estar longe da família é o mais difícil. E se vierem como eu sozinhos, morar com pessoas desconhecidas e não ter ninguém que vos apoie cá é mesmo complicado. Passamos por todas as fases, a fase da descoberta do país, a fase da depressão e da falta dos familiares e a fase em que já não nos víamos de novo em Portugal. No início temos de nos manter ocupados para não pensarmos no que deixamos para trás e focarmo-nos nos motivos que nos levaram a emigrar.

7- O que pensa acerca dos serviços prestados pela JobAbroad em todo o processo?
Não poderia estar mais satisfeita. Demonstram rapidez nas respostas, preocupação e interesse pelos candidatos, ajudam em tudo aquilo que podem durante todo o processo de recrutamento.

8 – Aconselharia a nossa empresa a outros colegas?
Sim, sem dúvida.

Hutchinson Care Homes

Hutchinson Care Homes have been working with the recruitment agency JobAbroad for nearly 3 years.
They have assigned personal agent to liaise with the recruitment officer, so therefore a professional working relation can be established.
JobAbroad have a good understanding of our company’s core values and a good knowledge of the clientele we wish to recruit. They are aware that the staff employed will have an excellent mentorship and support in place to facilitate the relocation.
Over the past three years JobAbroad have provided Hutchinson Care Homes with a lot of professional caring nurses.

Ana Arenas

1 – Como conheceu a nossa empresa?
R: Conheci a JobAbroad através da minha universidade quando estava a terminar o curso. A universidade enviou para mim uma oferta de emprego para a Irlanda da JobAbroad.

2 – O que levou a escolher a JobAbroad?
R: Depois de uma primeira conversa via Skype fiquei encantada e não queria perder a oportunidade que a JobAbroad me apresentou.

3 – Que motivos levaram a que optasse por trabalhar fora de Espanha? (Exemplos; Crescimento pessoal ou profissional?)
R: Quis trabalhar fora de Espanha para aperfeiçoar o meu inglês, conhecer novas técnicas de trabalho, enfermeiros diferentes, desenvolver a minha carreira profissional e iniciar uma nova etapa num país diferente e desfrutar de um salário mais alto que em Espanha.

4 – Pensa voltar um dia a Espanha?
R:Atualmente não quero voltar a Espanha, ainda sou uma novata na Irlanda e ainda me falta muito para conhecer sobre a Enfermagem neste país.

5 – Como foi a sua recepção ao chegar a este novo país?
R: A minha recepção na Irlanda foi muito melhor do que esperava, pois tinha muitas dúvidas e medos, mas o tratamento que recebi superou as minhas expectativas. Destaco a amabilidade e empatia das pessoas com quem contactei tanto no âmbito profissional, como no dia-a-dia.

6 – Como é viver neste novo local? E como descreve o processo de adaptação a uma nova realidade?
R: É complicada a rápida adaptação devido a vários passos que temos que dar (alojamento, a abertura de conta, conseguir o número de PPS) para conseguirmos viver como no nosso país.

7- O que pensa acerca dos serviços prestados pela JobAbroad em todo o processo?
No meu caso estou muito satisfeita com o tratamento recebido, a disponibilidade completa que manifestaram para esclarecer as minhas dúvidas em qualquer momento e a eficácia demonstrada para me proporcionar uma entrevista que resultou na minha vinda para a Irlanda.

8 – Aconselharia a nossa empresa a outros colegas?
Recomendo totalmente a JobAbroad a todos os Enfermeiros que procurem desenvolver a sua carreira na Irlanda, sobretudo pela qualidade que demonstram na procura de um posto de trabalho adequado ao nosso perfil e pelo trato pessoal também.

Claudia Rezende

1 – Como conheceu a nossa empresa?
R: Conheci a Jobabroad a partir de emails com propostas de emprego que recebi da minha universidade e após alguma pesquisa na internet pareceu-me uma empresa bastante fiável.

2 – O que levou a escolher a JobAbroad?
R: A partir do momento em que me contactaram após ter enviado o currículo senti-me apoiada e segura para tomar todas as decisões que se seguiram.

3 – Que motivos levaram a que optasse por trabalhar fora de Portugal? (Exemplos; Crescimento pessoal ou profissional?)
R: O facto de não conseguir encontrar trabalho em Portugal levou-me a pensar na possibilidade de emigrar e a minha realização pessoal e profissional foi algo que pesou bastante na minha decisão.

4 – Pensa voltar um dia a Portugal?
R:É claro que tenho saudades de Portugal e que há dias mais difíceis, mas para já sinto-me bastante bem aqui. A Irlanda é um país maravilhoso e os irlandeses são extremamente acolhedores e estão sempre disponíveis para ajudar.

5 – Como foi a sua recepção ao chegar a este novo país?
R: Quando cheguei a Foxford tinha uma colega à minha espera na paragem de autocarros que me ajudou e me orientou em tudo aquilo que precisava. Os responsáveis da Nursing Home mostraram-se sempre muito disponíveis e amáveis e posso dizer com toda a segurança que até agora nunca me senti desamparada por eles em nenhum aspecto.

6 – Como é viver neste novo local? E como descreve o processo de adaptação a uma nova realidade?
R: Foxford é uma vila pequena e calma mas com bons acessos. As pessoas são simpáticas e amáveis e é fácil sentirmo-nos felizes aqui. As primeiras semanas foram as mais complicadas pelo facto de não conhecer quase ninguém mas a verdade é que o ambiente na Nursing Home é bastante acolhedor e fui muito bem recebida não só pelos responsáveis. mas também por enfermeiros e auxiliares. O mais importante é sermos honestos, humildes e darmos o nosso melhor.

7- O que pensa acerca dos serviços prestados pela JobAbroad em todo o processo?
R: A JobAbroad foi fundamental em todo o processo. Nunca me abandonaram mesmo quando me senti indecisa em relação à inscrição no NMBI e o seu apoio foi total por parte de todos os colaboradores. Sem eles teria sido muito mais difícil.

8 – Aconselharia a nossa empresa a outros colegas?
R: Sem dúvida alguma aconselho a JobAbroad a todos aqueles que estão a pensar procurar uma vida melhor noutro país. 

Carla Martins

1 – Como conheceu a nossa empresa?
R: Conheci a JobAbroad através da Internet, fazia pesquisas sobre oportunidades de emprego fora de Portugal quando a vossa companhia surgiu com propostas que pareciam interessantes e iam de encontro ao que pretendia.

2 – O que levou a escolher a JobAbroad?
R: Quando comecei a pensar em trabalhar fora de Portugal tinha duas coisas em mente, primeira que queria um país onde o Inglês fosse a lingua utilizada e depois não queria muito ir para o Reino Unido por ser a primeira escolha óbvia da maioria dos enfermeiros, por isso a Irlanda estaria no meu top de escolhas e de todas as propostas que fui recebendo, a vossa empresa apresentavas as mais interessantes. Daí a minha escolha pela JobAbroad.

3 – Que motivos levaram a que optasse por trabalhar fora de Portugal? (Exemplos; Crescimento pessoal ou profissional?)
R: Em Portugal a profissão de Enfermagem está demasiado vulgarizada, muitos enfermeiros para poucas vagas. Muito esporadicamente se consegue um emprego full-time que nos permita exercer a profissão em pleno, e foi o que me tinha acontecido desde que terminei a licenciatura, sempre trabalhei mas mais num sentido de prestação de serviços e isso para mim deixou de ser suficiente, queria mais, definitivamente queria muito mais. O crescimento e desenvolvimento profissional começaram a distanciar-se das outras ambições que tinha na vida e tinha mesmo que dar o salto ou viveria insatisfeita o resto da vida.

4 – Pensa voltar um dia a Portugal?
R:Sinceramente não sei. Foi extremamente bem recebida, aqui valorizam o meu trabalho e o que sou. Aqui dão-me perspectivas positivas de conhecimento e desenvolvimento. Por isso muito honestamente, a curto prazo voltar a Portugal não está nos meus planos. Um dia, talvez, não sei.

5 – Como foi a sua recepção ao chegar a este novo país?
R: O país que me recebeu, Republica da Irlanda é um país acolhedor e afectuoso por natureza, dada também a multiculturalidade que eles têm. Fizeram-me sentir muito bem, como se fosse parte da família. Disponibilizaram-se para me ajudar em tudo e têm sido até agora muito bons comigo. Só tenho a agradecer.

6 – Como é viver neste novo local? E como descreve o processo de adaptação a uma nova realidade?
R: Vivo num condado que se assemelha à minha terra Natal em Portugal por isso a adaptação não foi complicada. Desde que deixei Portugal que disse para mim que ia abrir horizontes e não comparar o que deixei em Portugal com o que tenho agora, e tenho sido muito feliz assim. A realidade não é assim tão diferente como se diz e a meteorologia tão má como pintam (ahahah). O meu processo de adaptação foi muito calmo e subtil, estou rodeada de pessoas muito simpáticas e amigáveis. Sempre me fizeram sentir em casa e me ajudaram em todos os processos, uns mais burocráticos que outros. Por isso a minha adaptação foi bastante rápida, um mês depois já era parte da casa. Nunca me senti olhada de lado ou ignorada. Mas de todo recomendo que sempre que pensarem em mudar de país que estudem bem a língua desse país antes de tomarem esse passo. Isso eles não gostam, não gostam de se sentir incompreendidos e de não conseguirem ajudar. Se pensarmos o oposto também não gostamos de ter em Portugal pessoas que não compreendemos.

7- O que pensa acerca dos serviços prestados pela JobAbroad em todo o processo?
R: Não podia estar mais contentes com os serviços da JobAbroad, desde o inicio que sempre foram muito esclarecedores e prestativos, dando muita atenção em todo o processo e tentado de forma simples esclarecer todas as dúvidas. Sempre que os contactava conseguiram responder e dar todas as indicações necessárias em tempo útil. Além disso pensam sempre em antecipação, principalmente acerca da Ordem dos Enfermeiros na Irlanda o que levou a que todo o processo fosse simples e rápido. Dão indicações de todos os documentos necessários e os que poderão a ser necessários fazendo os clientes estar sempre um passo a frente do que será pedido. Só tenho que agradecer toda a ajuda que me deram.

8 – Aconselharia a nossa empresa a outros colegas?
R: Definitivamente. Sempre que me questionam sobre empresas a pesquisar para “dar o salto” recomendo sempre a JobAbroad. Como se diz em bom Português: “Em equipa que ganha não se mexe!” 

Ana Cláudia Fernandes

1 – Como conheceu a nossa empresa?
R: Conheci a empresa através da página de facebook. Uma página de grupo publicou algo sobre uma oferta da empresa que me despertou interesse, o que me levou ao primeiro contacto por e-mail.

2 – O que levou a escolher a JobAbroad?
R: Ao mesmo tempo que conheci a JobAbroad, entrei também em contacto com duas outras agências de recrutamento. Uma delas demorou bastante a responder, e a outra apenas se limitou a apresentar uma oferta e a marcar entrevista sem preparação prévia.
A JobAbroad foi a única que demostrou interesse em conhecer os meus objetivos, as minhas preferências e o meu perfil. Foram bastante acessíveis e empenhados no meu caso. Sempre disponíveis para qualquer dúvida, e atenciosos, o que me permitiu confiar no trabalho de toda a equipa.

3 – Que motivos levaram a que optasse por trabalhar fora de Portugal? (Exemplos; Crescimento pessoal ou profissional?)
R: O primeiro motivo foi a dificuldade em entrar numa vaga de enfermagem em Portugal. A partir daí, comecei a refletir de forma séria no meu futuro e apercebi-me que emigrar seria o melhor tanto a nível pessoal como profissional.

4 – Pensa voltar um dia a Portugal?
R: Neste momento não, apenas considero regressar quando a minha profissão for devidamente respeitada e valorizada. 

5 – Como foi a sua recepção ao chegar a este novo país?
R: Fui muito bem recebida. Quando cheguei ao aeroporto, já tinha alguém à minha espera para me levar ao meu alojamento. Uma vez em casa, os meus colegas foram muito atenciosos e mostraram-se de imediato disponíveis.  

6 – Como é viver neste novo local? E como descreve o processo de adaptação a uma nova realidade?
R: Tenho a sorte de trabalhar numa cidade acolhedora. Estou a uns passos de tudo o que preciso (serviços, supermercados), e tenho possibilidade para momentos de lazer.
Os meus colegas de casa facilitaram, de certa forma, a adaptação, pois sempre se mostraram disponíveis e presentes.

7- O que pensa acerca dos serviços prestados pela JobAbroad em todo o processo?
R: om toda a confiança posso dizer que prestaram um excelente serviço. Superaram as minhas expetativas a partir do momento em que, literalmente de um dia para o outro, conseguiram ajudar uma amiga minha, tornando realidade o nosso sonho de emigrar juntas. Fiquei bastante satisfeita. 

8 – Aconselharia a nossa empresa a outros colegas?
R: Aconselharia, sim.